DA CONTAMINAÇÃO À PURIFICAÇÃO

Faça download do arquivo: 09 Lição Esquematizada – Da contaminação à purificação

LIÇÃO 9

(22 a 28/02/2020)

Por Francisney Liberato Batista Siqueira

www.francisney.com.br

Tempo estimado de leitura: 16 min

“Ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado” (Dn 8:14).

A visão de Daniel 8 (terceiro ano do reinado de Belsazar) se assemelha à de Daniel 7. Daniel 8 está em seu foco nos aspectos do santuário celestial. Enquanto Daniel 7 mostra o tribunal celestial e o Filho do Homem recebendo o reino, Daniel 8 apresenta a purificação do santuário celestial.

Como está ocorrendo a purificação em sua vida?

1 O CARNEIRO E O BODE

Assim como em Daniel 2 e 7, o capítulo 8 apresenta outra visão da ascensão e queda dos impérios mundiais, embora com um simbolismo diferente. Esse simbolismo está diretamente relacionado ao santuário de Deus. Nesse caso, os símbolos de um carneiro e um bode foram usados devido à sua relação com o ritual do santuário no Dia da Expiação (os dois são mencionados juntos) uma ocasião de juízo para o antigo Israel.

Enquanto a visão se desenrolava, Daniel viu um carneiro com 2 chifres (poder da Medo-Persa) dando marradas em três direções (maiores conquistas): para o ocidente, para o norte e para o sul (Dn 8:4).

Em seguida, surge um bode com um grande chifre, que representa o Império Grego, sob o comando de Alexandre, o Grande (Dn 8:21). O fato de que o bode se movia “sem tocar no chão”, que representa a velocidade (leopardo) das conquistas do imperador. O bode se engrandeceu sobremaneira, “o seu grande chifre foi quebrado” (Dn 8:8, NVI) e deu lugar a quatro chifres (reino dividido entre seus quatro generais). Isso se cumpriu por ocasião da morte de Alexandre em Babilônia, em junho de 323 a.C., com a idade de trinta e três anos.

Quais são a velocidade de suas conquistas?

2 A ASCENSÃO DO CHIFRE PEQUENO

Depois de descrever quatro chifres se espalhando aos quatro ventos do Céu, o texto bíblico declara que, de um deles, surgiu um chifre pequeno. Ele surgiu após o Império Grego e suas quatro ramificações, um entendimento comum é que esse chifre seja Roma pagã (forte para o sul, para o oriente e para a terra gloriosa = às três principais áreas que caíram sob o domínio de Roma pagã) e depois papal.

O chifre corresponde precisamente ao chifre pequeno de Daniel 7: (1) ambos os chifres são pequenos no início (Dn 7:8; 8:9); (2) ambos se tornam grandes posteriormente (Dn 7:20; 8:9); (3) ambos são poderes persecutórios (Dn 7:21, 25; 8:10, 24); (4) ambos se engrandecem e são blasfemos (Dn 7:8, 20, 25; 8:10, 11, 25); (5) ambos têm como alvo o povo de Deus (Dn 7:25; 8:24); (6) ambos têm aspectos de sua atividade delineados pelo tempo profético (Dn 7:25; Dn 8:13, 14); (7) ambos se estendem até o tempo do fim (Dn 7:25, 26; 8:17, 19); e (8) ambos enfrentam a destruição sobrenatural (Dn 7:11, 26; 8:25).

Você permanecerá firme até o tempo do fim?

3 O ATAQUE AO SANTUÁRIO

Em Daniel 8:10, o chifre pequeno tenta replicar, no nível espiritual, os esforços dos construtores de Babel (Gn 11:4). Embora milhares de cristão tenham sido mortos por imperadores pagãos, o foco agora está nas ações verticais do chifre pequeno.

Jesus Cristo é o Príncipe do “exército” e o nosso Sumo Sacerdote no Céu. Portanto, o papado e o sistema religioso que ele representa ofuscam e tentam substituir a função sacerdotal de Jesus.

Em Daniel 8:11, o “sacrifício diário” aparece em conexão com o santuário terrestre a fim de designar os aspectos diversos e contínuos dos serviços rituais – incluindo os sacrifícios e a intercessão. É mediante esses serviços que os pecadores são perdoados, e o problema dos pecados é resolvido no tabernáculo. Esse sistema terrestre representa o ministério de intercessão de Cristo no santuário celestial. Portanto, como a profecia prediz, o papado troca a intercessão de Cristo pela intercessão dos sacerdotes.

Você tem contato direto com Deus ou precisa de um intercessor?

4 A PURIFICAÇÃO DO SANTUÁRIO

Após o ataque devastador do chifre, foi feito o anúncio de que o santuário seria purificado.

O santuário terrestre foi moldado de acordo com sua contraparte celestial e servia para ilustrar os amplos desdobramentos do plano de salvação. A cada dia, os pecadores traziam seus sacrifícios de animas (simbolizando a posterior morte de Jesus) para o santuário, onde as pessoas eram perdoadas de seus pecados confessados à medida que estes eram, em certo sentido, transferidos para o santuário, que, como resultado, ficava contaminado. Por isso, um processo periódico de purificação era necessário a fim de limpar o santuário dos pecados registrados nele. Esse processo era chamado de Dia da Expiação e ocorria uma vez por ano (veja Lv 16).

Por que o santuário celestial precisa de purificação? Por analogia, podemos dizer que os pecados confessados dos que aceitaram Jesus foram “transferidos” para o santuário celestial, assim como os pecados dos israelitas arrependidos haviam sido transferidos para o santuário terrestre.

Somente quem pode te salvar?

5 O CALENDÁRIO PROFÉTICO

À pergunta “até quando durará a visão” (carneiro [Média-Pérsia], bode [Grécia] e o chifre pequeno e suas ações [Roma, pagã (expansão horizontal) e papal (expansão vertical]), o outro ser celestial respondeu: “Até duas mil e trezentas tardes e manhãs (2.300 anos); e o santuário será purificado” (Dn 8:14).

Você estaria hoje pronto para ser perseguido em nome de Deus?

6 EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

Julgue as questões a seguir, marcando, Certo (C) ou Errado (E):

  • (____) A linguagem e os símbolos não mudam em Daniel 8 porque essa visão focaliza de maneira precisa a purificação do santuário celestial em conexão com o Dia da Expiação celestial.
  • (____) Enquanto a visão se desenrolava, Daniel viu um carneiro dando marradas em três direções diferentes: para o ocidente, para o norte e para o leste.
  • (____) “Este ‘chifre pequeno’ representa Roma em ambas as fases, pagã e papal. Daniel viu Roma, primeiramente em sua fase pagã e imperial, guerreando contra o povo judeu e os cristãos primitivos e, depois, na fase papal, seguindo até o presente e o futuro”
  • (____) Em Daniel 8:11, o “sacrifício diário” aparece em conexão com o santuário terrestre a fim de designar os aspectos diversos e contínuos dos serviços rituais – incluindo os sacrifícios e a intercessão.
  • (____) Por que o santuário celestial precisa de purificação? Por analogia, podemos dizer que os pecados confessados dos que aceitaram Jesus foram “transferidos” para o santuário celestial, assim como os pecados dos israelitas arrependidos haviam sido transferidos para o santuário terrestre. No Dia da Expiação terrestre, muitos animais eram mortos, simbolizando a posterior morte de Jesus – dessa maneira os pecadores podiam sobreviver no Dia da Expiação.
  • (____) De acordo com o método historicista de interpretação (veja a lição 1), esse período profético deve ser calculado com base no princípio do dia/ano, o que significa que as 2.300 tardes e manhãs correspondem a um período de 2.300 anos.
  • (____) São dadas duas representações diferentes da mesma coisa, e ambas ocorrem após o período de 1.260 anos de perseguição perpetrada pelo chifre pequeno.

Gabarito:

1)  E – Lição de sábado;

2)  E – Lição de domingo;

3)  C – Lição de segunda-feira;

4)  C – Lição de terça-feira;

5)  C – Lição de quarta-feira;

6)  C – Lição de quinta-feira;

7)  C – Lição de Sexta-feira.

Lição completa da CPB: CLIQUE AQUI.

Áudio da Lição ESQUEMATIZADA: CLIQUE AQUI.

Comente a lição da semana: CLIQUE AQUI.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s