Contato pele a pele

Por Carolina Vieira

Já ouviu dizer que o calor humano aquece? Que o calor humano acalma? Já passou por essa experiência?

Então com os bebês não é diferente, o calor humano, o contato da pele do bebê em contato com a pele da mãe ou do pai, aquece, acalma, aumenta o vínculo afetivo.

Esse conceito chegou ao Brasil em 1999, quando a área técnica da saúde e da criança e aleitamento materno, conseguiu implantar a Atenção Humanizada ao recém nascido de baixo peso – Método Canguru, aprimorando o cuidado dentro das unidades neonatal, o método é composto por várias fases, mostrando que o cuidado humanizado, a presença da família, o toque, faz diferença no tratamento, no desenvolvimento dessa criança, e cada dia mais esse cuidado tem se estendido ao recém nascidos que não precisaram de internação também.

Para os papais o vínculo demora um pouco mais para ser formado, porque eles não carregam na barriga 9 meses, nao passam pela dor do parto (seja no parto normal ou na cesárea), não amamentam, têm muitas mamães inseguras com os papais, o tempo de licença é menor, mas colocar o bebê em contato pele a pele com o pai, não tem maneira melhor de aumentar esse vínculo, os pais sentem-se mais responsáveis pelo seu filho naquele momento, ele quem está acalmando, ele quem está aquecendo, o bebê sente e reconhece o cheiro do pai, as batidas do coração.

Para as mamães essa prática pode ser adotada na hora da amamentação, outro benefício relatado o bebê ganha peso mais facilmente.

Há muitos pais que não acreditam que realmente aquece, e mesmo depois de toda explicação ainda vejo pais colocando várias mantas para aquecer o bebê, sendo que tirar todas elas e colocar em contato pele a pele e a manta nas costas do bebê, aquece mais e ainda é o momento de carinho, aconchego e vínculo com os pais.

CAROLINA VIEIRA
Graduada em Medicina pela Universidade de Cuiabá (2010). Especialização em Pediatria pela Universidade de Cuiabá (2012) e Neonatologia pelo Hospital dos Servidores do Estado do RJ (2014). Atualmente é coordenadora da UTI Neonatal Escomed do Hospital Santa Helena. Responsável pelo Posto de Coleta de Leite humano do mesmo hospital. Preceptora de ensino da UNIVAG. Atua como instrutora nos cursos de reanimação neonatal pela SBP e tutora do método canguru.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s