DA COVA DOS LEÕES À COVA DO ANJO

Faça download do arquivo: 07 Lição Esquematizada – Da cova dos leões à cova do anjo

LIÇÃO 7

(08 a 14/02/2020)

Por Francisney Liberato Batista Siqueira

www.francisney.com.br

Tempo estimado de leitura: 15 min

“Então, os presidentes e os sátrapas procuravam ocasião para acusar a Daniel a respeito do reino; mas não puderam achá-la, nem culpa alguma; porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum erro nem culpa” (Dn 6:4).

Depois que os medo-persas tomaram Babilônia, Dario, o medo, reconheceu a sabedoria de Daniel e o convidou para fazer parte do novo governo.

Daniel enfrentou o resultado do que poderíamos corretamente chamar de “pecado original supremo” – a inveja.

Você tem inveja do sucesso das outras pessoas?

1 PESSOAS INVEJOSAS

Mesmo no Céu, um ambiente perfeito, Lúcifer teve inveja de Cristo. Abrigar o sentimento de inveja é tão perigoso que, nos Dez Mandamentos, juntamente com a proibição do assassinato e do furto, há o mandamento contra a cobiça (veja Êx 20:17).

As habilidades administrativas de Daniel (Daniel era um dos 3 presidentes que Dario havia posto sobre as 120 províncias de seu império. Daniel se destacava e muito, a ponto de o rei planejar promover o profeta e criar um cargo acima dos 2 presidentes) impressionaram o rei, mas provocaram inveja em outros oficiais. Portanto, eles conspiraram para se livrarem de Daniel, acusando-o de corrupção. Todavia, por mais que tivessem procurado, não encontraram falhas na administração de Daniel.

A única forma que os seus adversários encontraram, foi de confrontar a Lei de Deus com a lei do império. Daniel se posicionou ao lado da Lei de Deus.

Como você lida com a inveja?

2 A TRAMA CONTRA DANIEL

Dario foi tolo ao promulgar um decreto (como se todos os governadores e presidentes tivessem concordados) que ele logo desejou revogar. Ele caiu na armadilha dos oficiais, que foram espertos o suficiente para jogar com as circunstâncias políticas do reino recém-estabelecido. Dario havia descentralizado o governo e estabelecido cento e vinte sátrapas (governadores das províncias) para tornar a administração mais eficiente. Um governador influente poderia facilmente promover uma rebelião e dividir o reino. Portanto, uma lei forçando todos a fazer petições apenas ao rei durante trinta dias parecia uma boa estratégia para promover a lealdade ao monarca e, assim, impedir qualquer tipo de revolta. Mas os oficiais enganaram Dario, alegando que essa proposta tinha o apoio de “todos” os governadores, administradores, sátrapas e conselheiros – uma evidente imprecisão, uma vez que Daniel não estava incluído.

Não há evidência de que os reis persas tivessem reivindicado status divino.

Dois aspectos dessa lei merecem atenção. Primeiramente, a punição ao transgressor era ser lançado na cova dos leões. Em segundo lugar, o decreto não podia ser alterado.

A natureza imutável da “lei dos persas e medos” também é mencionada em Ester 1:19 e 8:8.

O que você faz quando as pessoas tramam contra a sua dignidade?

3 A ORAÇÃO DE DANIEL

Daniel era um estadista experiente, mas, acima de tudo, era servo de Deus. Sendo assim, ele era o único membro do governo que entendia o que estava por trás do decreto do rei. Para Dario, essa ordem representava uma oportunidade para fortalecer a unidade do reino, mas para os conspiradores era uma estratégia para se livrarem de Daniel.

Daniel sabia que o decreto real não era uma questão de mera política humana, mas como um exemplo de guerra cósmica.

Portanto, ele não mudou seus hábitos devocionais, mas continuou sua costumeira prática de orar três vezes por dia em direção a Jerusalém (o templo já estava em ruínas naquele momento).

Você tem vergonha ou medo de orar em público?

4 NA COVA DOS LEÕES

Os conspiradores logo avistaram Daniel orando. Além disso, eles colocaram Daniel (um estrangeiro) contra o rei dizendo que o profeta não demonstrava a devida consideração pelo rei, nem pelo decreto que ele tinha assinado.

Dario percebeu que havia sido ludibriado ao assinar o decreto, que não podia ser revogado. Assim, embora com relutância, o rei tentou salvar Daniel, mas não foi possível. O rei deu a ordem para jogar Daniel aos leões. O rei torcia para que Deus salvasse Daniel.

O texto bíblico não declara o que Daniel fez no meio dos leões, mas pode-se supor que ele estivesse orando. E Deus honrou a fé de Daniel enviando Seu anjo para protegê-lo, similar ao que ocorreu no livramento dos amigos de Daniel da fornalha de fogo ardente.

Você acredita que Deus pode fazer milagres em sua vida?

5 VINDICAÇÃO

Um ponto importante da narrativa é o fato de Dario ter louvado a Deus e reconhecido Sua soberania, como fez Nabucodonosor.

O rei reverteu seu decreto anterior e ordenou a todos que tremessem e temessem “perante o Deus de Daniel”.

O rei determinou que as esposas e os filhos que, até onde sabemos, eram inocentes e, contudo, sofreram o mesmo destino dos culpados (um princípio antigo dizia que toda a família era responsável pela transgressão de um membro). Foram jogados na cova dos leões. A Bíblia não endossa a ação do rei.

A justiça de Deus nunca falha, você tem confia?

6 EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

Julgue as questões a seguir, marcando, Certo (C) ou Errado (E):

  1. (____) A experiência de Daniel com a perseguição serve como paradigma para o povo de Deus no tempo do fim. A História sugere que Seu povo será poupado das provações e sofrimentos.
  2. (____) Lúcifer teve inveja de Cristo. “Lúcifer ficou invejoso e enciumado de Jesus Cristo. Todavia, quando todos os anjos se curvaram diante de Deus pai reconhecendo Sua supremacia e alta autoridade e direito de governar, ele curvou-se com eles, mas seu coração estava cheio de inveja e rancor”.
  3. (____) Mas os oficiais ajudaram Dario, alegando que essa proposta tinha o apoio de “todos” os governadores, administradores, sátrapas e conselheiros – uma evidente imprecisão, uma vez que Daniel não estava incluído.
  4. (____) Portanto, ele não mudou seus hábitos devocionais, mas continuou sua costumeira prática de orar duas vezes por dia em direção a Jerusalém.
  5. (____) E ao trazerem a acusação perante o rei, eles se referiram a Daniel de maneira humilhante: “Esse Daniel, que é dos exilados do Brasil” (Dn 6:13). Aos olhos deles, um dos principais oficiais do império, o favorito do rei, não passava de um “cativo”.
  6. (____) Como Nabonido, Dario respondeu ao livramento de Daniel louvando o Senhor. Mas ele também fez mais: o rei reverteu seu decreto anterior e ordenou a todos que tremessem e temessem “perante o Deus de Daniel” (Dn 6:26).
  7. (____) Os heróis da fé são apenas aqueles que escaparam da morte como Daniel, mas também aqueles que sofreram e morreram corajosamente, como Hebreus 11 também observa.

Gabarito:

1)  E – Lição de sábado;

2)  E – Lição de domingo;

3)  E – Lição de segunda-feira;

4)  E – Lição de terça-feira;

5)  E – Lição de quarta -feira;

6)  E – Lição de quinta -feira;

7)  E – Lição de Sexta-feira.

Lição completa da CPB: CLIQUE AQUI.

Áudio da Lição ESQUEMATIZADA: CLIQUE AQUI.

Comente a lição da semana: CLIQUE AQUI.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s