DA ARROGÂNCIA À DESTRUIÇÃO

Faça download do arquivo: 06 Lição Esquematizada – Da arrogância à destruição

DA ARROGÂNCIA À DESTRUIÇÃO

LIÇÃO 6

(01 a 07/02/2020)

Por Francisney Liberato Batista Siqueira

www.francisney.com.br

Tempo estimado de leitura: 15 min

“É Ele quem muda o tempo e as estações, remove reis e estabelece reis; Ele dá sabedoria aos sábios e entendimento aos inteligentes” (Dn 2:21).

Em Daniel 4, o Senhor retirou o poder de Nabucodonosor por um determinado período (7 anos). Em Daniel 5, o Altíssimo remove o poder de Belsazar e encerra o ciclo do reino babilônico.

  1. A cabeça de ouro representa Babilônia “a cidade dourada” (626–539 a.C.);
  2. O peito e os braços de prata representam a Média-Pérsia (539–331 a.C.).

Quem governa os assuntos da sua vida?

1 O BANQUETE DE BELSAZAR

O rei ofereceu um banquete, convidou autoridades do país e começou a beber vinho com os convidados. Após beberem bastante, o rei ordenou, diferentemente de Nabucodonosor (seu avô), que os utensílios sagrados do templo de Jerusalém fossem usados como recipientes para beber. Total desprezo contra o Deus dos judeus.

Enquanto bebiam nos objetos sagrados, os nobres de Belsazar “deram louvores aos deuses de (1) ouro, de (2) prata, de (3) bronze, de (4) ferro, de (5) madeira e de (6) pedra”, que representa a totalidade das divindades babilônicas (Dn 5:4). Curiosamente, a ordem dos materiais segue a ordem dos componentes da estátua do sonho de Nabucodonosor, com exceção da madeira que substitui o barro.

Os babilônios usavam o sistema sexagesimal (um sistema com base no número 60) em contraste com o sistema decimal usado hoje (que tem por base o número 10).

Esse banquete serve como uma representação adequada da Babilônia do tempo do fim, conforme o livro de Apocalipse 17:4-6.

Como evitar de misturar o santo do profano?

2 UM VISITANTE INDESEJADO

Na festa hedonista (festa do prazer) do rei, apareceu a mão de um homem e ela começou a escrever (a escrita estava na língua deles, o aramaico) na parede branca do salão do banquete. O rei ficou pálido e com medo.

Como Nabucodonosor havia feito em crises anteriores (Dn 2:2; 4:7), Belsazar chamou os astrólogos, os caldeus e os adivinhadores para esclarecer a misteriosa escritura na parede. O rei ofereceu, a quem traduzisse a escrita, honras extravagantes, dentre as quais, “a posição de terceiro governante no reino”. Belsazar era o segundo governante como co-regente junto ao seu pai, Nabonido. Os sábios do palácio, mais uma vez, não apresentaram nenhuma explicação.

Quem tem dominado a sua vida?

3 A CHEGADA DA RAINHA

A rainha-mãe (Alguns eruditos disseram que era Nitocris, filha de Nabucodonosor, esposa de Nabonido e mãe de Belsazar; ou, em outra interpretação, avó de Belsazar, viúva do rei Nabucodonosor) lembrou o monarca sobre Daniel (Beltessazar), que tinha habilidade para interpretar sonhos e resolver mistérios, o profeta tinha o Espírito do Deus Santo. A intervenção da rainha se mostrou necessária para o rei, que naquele momento parecia totalmente perdido quanto ao que fazer.

A essa altura, o rei tinha ignorado Daniel (que havia servido até o terceiro ano de Belsazar), pode ter sido por alguns motivos, vejamos: Daniel estava aposentado (+/- 80 anos); foi substituído por uma liderança jovem; revela que o rei desconsiderava o passado de Daniel e seu Deus; por que o rei não queria se comprometer com o Deus dele. A bíblia não esclarece a situação.

A quem você recorre em momentos de crises?

4 PESADO E ACHADO EM FALTA

Forçado pelas circunstâncias, o rei recorreu à consultoria de Daniel. O rei ofereceu os mesmos presentes para Daniel, mas ele recusou.

Daniel então fez três acusações ao rei: (1) Belsazar havia ignorado (omissão) completamente a experiência de Nabucodonosor; (2) havia utilizado (ação) os utensílios do templo para beber vinho e louvar seus ídolos; (3) o rei havia negligenciado (omissão) a glorificação a Deus.

Tendo indicado os erros do rei, Daniel apresentou a interpretação: o grafite divino consistia em três verbos aramaicos (“luziam como fogo”). O rei e seus sábios deveriam ter conhecido seu significado básico: MENE (repetido 2 vezes): “contado”; TEKEL: “pesado” e PERES [PARSIM]: “dividido”.  Resumindo: “MENE: Contou Deus o teu reino e deu cabo dele. TEQUEL: Pesado foste na balança e achado em falta. PERES: Dividido foi o teu reino e dado aos medos-persas” (Dn 5:26-28).

Naquela mesma noite, Belsazar, o rei da Babilônia, foi morto, e Dario, o rei de medo-persa, começou a reinar no seu lugar.

Você tem sido omisso as Escrituras Sagradas?

5 A QUEDA DE BABILÔNIA

O rei deveria estar mais concentrado em defender sua cidade contra o iminente ataque dos Medos e dos Persas, pelo contrário, o rei estava oferecendo um extravagante banquete para os seus oficiais. O mais provável é que ele se sentisse seguro dentro da cidade, cercada por uma muralha com cerca de 7,5 metros de largura e 12 metros de altura. Dentro da cidade havia água abundante e suprimentos de comida para resistir a muitos anos de cerco.

O profeta Daniel, aceitou os presentes que havia recusado antes, provavelmente porque eles não podiam mais influenciar sua interpretação.

Exatamente como foi anunciado pelo profeta, Babilônia caiu (no dia 12 de outubro de 539, 23 anos após a morte de Nabucodonosor); e isso aconteceu rapidamente. Enquanto o rei e seus cortesãos bebiam, a cidade caiu sem sequer uma batalha. Segundo o historiador Heródoto, os persas cavaram um canal para desviar o rio Eufrates e marcharam para dentro da cidade pelo leito do rio. Naquela mesma noite, Belsazar foi morto (fim do império). Seu pai, o rei Nabonido, já havia deixado a cidade, entregando-se mais tarde aos novos governantes.

O rei desperdiçou as oportunidades graciosamente concedidas a ele.

Quantas oportunidades Deus têm concedido a cada um de nós?

6 EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

Julgue as questões a seguir, marcando, Certo (C) ou Errado (E):

  • (____) O rei ordenou que os utensílios sagrados do templo de Jerusalém não fossem usados como recipientes para beber.
  • (____) Os babilônios usavam o sistema sexagesimal (um sistema com base no número 60) em contraste com o sistema decimal usado hoje (que tem por base o número 10).
  • (____) (1) vestimenta de púrpura, uma cor usada pela realeza nos tempos antigos; (2) uma corrente de ouro, que era um sinal de status social elevado; e (3) a posição de terceiro governante no reino.
  • (____) A intervenção da rainha se mostrou necessária para o rei, que naquele momento parecia totalmente perdido quanto ao que fazer.
  • (____) O rei também pode ter decidido ignorar Daniel porque não queria se comprometer com o Deus dele. Mas seja qual for a razão ou a combinação de razões, continua a ser surpreendente que alguém com um registro de trabalho como o de Daniel pudesse ter sido esquecido tão cedo.
  • (____) Com o exército medo-persa às portas de Babilônia, o rei e os sábios devem ter suspeitado de algum significado sinistro naquele escrito, mas os sábios não ousaram dizer nada desagradável ao rei.
  • (____) “Belsazar havia recebido muitas oportunidades para conhecer e fazer a vontade de Deus. Ele tinha visto seu avô, Nabucodonosor, banido da sociedade dos homens. Ele tinha visto o intelecto, no qual o soberbo monarca se gloriava, ser levado por Aquele que o havia concedido.

Gabarito:

1)  E – Lição de domingo;

2)  C – Lição de domingo;

3)  C – Lição de segunda-feira;

4)  C – Lição de terça-feira;

5)  C – Lição de terça-feira;

6)  C – Lição de quarta-feira;

7)  C – Lição de quinta-feira.

2 comentários sobre “DA ARROGÂNCIA À DESTRUIÇÃO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s