Plenitude na tempestade

Por Maria Carolina Borges Dal´Magro

Já era alta madrugada quando começou uma forte tempestade no mar da Galileia. A embarcação era jogada de um lado para o outro e o desespero tomou conta daquele lugar. Todos aguardavam a reação de Jesus, que tranquilamente ordenou que os ventos se aquietassem e então, aquela tempestade se acalmou. Jesus, em atitude serena perguntou àqueles pescadores que, mal acreditavam no que viam. “Porque sentem tanto medo”? Uma pergunta que, aparentemente, tinha uma resposta justificável, mas que diante daquela tamanha soberania, havia se mostrado inútil.

Pedro, um dos discípulos a bordo, era conhecido como alguém de personalidade muito forte, intensa e impulsiva. Ao presenciar àquele a quem acabara de dar ordens ao vento, e que em pé andava sobre as águas, pediu, então, para ir até Jesus, e a história conta que, os pés de Pedro começaram a afundar, no mesmo instante em que seus olhos se voltaram aos ventos que ali sopravam. “Homem de pouca fé”, disse Jesus.

Após a morte e ressureição do Messias, e do seu legado deixado aos discípulos, então começaram as perseguições contra os cristãos. Herodes, o rei da época, aproveitando-se de sua popularidade na busca em perseguir os discípulos de Jesus, logo após ter matado Thiago, havia, então, prendido Pedro, que estava em uma cela, amarrado a dois soldados, e vigias a postos faziam a guarda de seu cárcere.

Aquela deveria ser a última noite, com vida, de Pedro, quando uma luz forte invadiu aquele lugar, e um anjo enviado por Deus, veio ao seu resgate. O barulho era intenso, na cela que tremia, ao passo em que, as correntes se quebravam e Pedro, enfim, estava liberto, para fugir. E o que a bíblia conta? O anjo teve que sacudir Pedro, que dormia como uma criança.

Nessas duas histórias, vemos um lapso temporal entre um Pedro antes e depois de Cristo, em meio as circunstâncias. Um Pedro que, somente foi capaz de suportar uma prisão, na iminência de sua morte, após ter sido provado, anteriormente.

Pedro foi transformado, pelos inúmeros testes de fé, até desenvolver sua confiança Naquele que tem poder para acalmar qualquer tempestade.

O maior propósito de Deus, não é nos livrar de problemas, ou nos ajudar a pagar aquela dívida alta, ou até eliminar o “corona vírus” do mundo, isso é muito simples para Ele. O maior milagre que Deus deseja fazer, é em mim e em você! a fim de sermos capazes de produzir uma fé, a ponto de vivermos de forma plena, em qualquer situação.

O que Jesus mais desejava para Pedro, era, acalmar a tempestade do seu coração! E é isso que Ele deseja para mim, e para você!

Maior do que aquilo que tocamos neste mundo terreno e passageiro, é o que Deus pretende fazer com aqueles que se permitem serem transformados por Ele.

Maria Carolina Borges Dal´Magro
Assessora Jurídica. Atuou na área criminal da 5ª Vara Criminal (efeitos gerais), 11ª Vara Criminal (audiências de custódia), 14ª criminal (cartas precatórias) todas de Cuiabá, 2ª Vara da Infância e Juventude (atos infracionais) e Vara Única de Poconé. Tribunal do Júri. Audiências admonitórias, justificação e instrução. Atualmente, atua como Assessora técnica jurídica da Presidência do Detran-MT (área correicional).

Um comentário sobre “Plenitude na tempestade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s