Juntos e shallow now

Por Coltri Junior 

O brasileiro é um caso a ser estudado. Vi cada uma na internet sobre a versão da música Shallow (Lady Gaga) intitulada “Juntos” (Paula Fernandes e Luan Santana)! Tem gente, inclusive (e não são poucos), considerando a letra burra por conta da expressão “juntos e shallow now”. Russell já dizia que o problema do mundo é que pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas, e as pessoas Idiotas estão cheias de certezas. Assim, devemos ter cuidado no julgamento quando não somos capazes de entender o que está escrito. É possível juntos e shallow now?

O primeiro ponto para entender um poeta é que ele é livre. É um grande direito das pessoas não gostarem, mas a obra é dele. Gilberto Gil define muito bem essa situação na música Metáfora: “toda meta existe para ser um alvo / mas quando o poeta diz meta / pode estar querendo dizer o inatingível / […] deixe a meta do poeta, não discuta / deixe sua meta fora da disputa / […] / deixe-a simplesmente metáfora.

Assim, qual é o problema de juntos e shallow now? Um amor diferente, talvez com feridas, mais consciente, menos passional? Não sei. Mas, há muitos relacionamentos (juntos) rasos (shallow). O agora (now) pressupõe um novo modelo, um novo tempo. Uma música do Guilherme Arantes do fim dos anos 80, A gente se sabe de cor, me remete ao tema: “Tem um dado novo em nosso olhar / Aquele brilho acabou / Bem que a gente sabe o momento / Mas se é pra falar de amor / Eu quero um tempo mais / Tudo em nome do nosso amor / Foi você que me ensinou / Tudo o que aprendemos um com o outro / A gente se sabe de cor / E há tanto por viver / O bom da vida passa / E quando a gente vê passou / Feito um melodrama / Uma hora chega e o pano cai / E nunca mais / Se voltar é só pra namorar / Mas cada um ter seu lugar / Um cantinho para um coração / Que precisa de paz / Cuidar do nosso amor”. Ficam juntos, mas em um relacionamento mais raso, agora.

Importante: versão não é tradução. É um poema novo. Não há a mínima necessidade de que represente a letra da canção original. Tanto é que temos uma música argentina dos anos 90 intitulada “De Música Ligera”. O Capital Inicial gravou uma versão chamada “À Sua Maneira” e os Paralamas, antes do Capital, gravaram outra com o nome “De Música Ligeira”. As letras são diferentes.

Bem, o meme, o humor, é válido. O problema é quando as críticas são levadas à sério e o artista é desmoralizado pela incompreensão de sua arte. Há aqueles que não gostam de versões. Também aceitável, pois modifica a obra. Só é preciso cuidado com os pensamentos “shallow”. Pense nisso, se quiser, é claro!

Prof. Coltri Junior é palestrante, consultor organizacional e educacional, professor e diretor da Nova Hévila Treinamentos. Website: www.coltri.com.br – E-mail: coltri@coltri.com.br – facebook.com/coltrijunior.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s